Guia de ICO

ICO

O que é uma ICO? ICO (do inglês - Initial Coin Offering) - é um modelo de venda ao público, uma maneira de levantar fundos para o desenvolvimento de um projeto, produto ou startup. Os investidores financiam o projeto visando receber benefícios do seu desenvolvimento no futuro. Geralmente a ICO é uma venda de criptomoeda recém-criada destinada ao público em geral. Como funciona uma ICO? A empresa cria tokens de criptomoeda que são então trocados por moeda fiduciária (USD, EUR) ou criptomoeda de valor líquido (Bitcoin ou Ethereum). O que acontece se a ICO for bem-sucedida? Se o dinheiro arrecadado cobre os fundos mínimos, os tokens de criptomoeda nova são distribuídos para aqueles que os compraram e se tornam líquidos no mercado de criptomoeda com potencial crescimento de valor. Se o objetivo de financiamento não foi concluído, o dinheiro é devolvido ao público. Que tipos de empresas ou projetos utilizam as ICO para arrecadação de fundos? Qualquer tipo de projeto pode usar o modelo ICO para atrair investimentos. As primeiras ICO's foram lançadas pelos projetos baseados em blockchains, mas à medida que a popularidade das ICOs está crescendo, a situação está mudando e as ICOs estão se tornando mainstream. Em 2013, a Mastercoin vendeu seus Mastercoins por Bitcoins com uma sugestão de que o câmbio de Bitcoin para Mastercoins aumentaria após a plataforma da empresa ser desenvolvida. Por que o assunto das ICO está em alta ultimamente? É uma maneira rápida de ganhar milhões apenas anunciando ao público. Um fato interessante - a ICO do novo navegador da web Brave gerou cerca de US $35 milhões em menos de 30 segundos. Durante o verão de 2017, duas ofertas de moedas arrecadaram somas quase iguais ao que as empresas tendem a alcançar usando um esquema tradicional de IPO. Em 2016, de acordo com a Dealogic, as empresas que realizaram a IPO arrecadaram uma média de 219 milhões de dólares. Para comparação, Tezos e block.one arrecadaram em poucos dias 211 milhões e 185 milhões de dólares, respectivamente.

Tokens

O que é um token? Token é a forma de criptomoeda, em outras palavras, um cupom digital que é vendido por moeda comum (USD, EUR) ou criptomoeda de valor líquido (Bitcoin ou Ethereum). Os Tokens podem ter várias funções, por exemplo, podem dar acesso aos serviços da empresa, mas não aos direitos de propriedade.   Que tipos de tokens existem? As empresas podem lançar vários tipos de tokens. Aqui estão os tipos mais populares:

  • Esses tokens não são vendidos, mas os usuários podem obtê-los através de várias atividades, por exemplo, por divulgação de conteúdo ou pela mineração (como no caso do Ethereum).
  • Tokens de crédito. Este tipo de tokens oferece uma certa taxa de porcentagem anual do valor do empréstimo.
  • Tokens de valor compartilhado. Este tipo de tokens permite aos proprietários ganhar uma parcela do rendimento ou dinheiro em comissões das transações da criptomoeda.

Por que as pessoas compram tokens? Existem três razões principais para comprar tokens. Em primeiro lugar, os proprietários de token podem obter lucros com a venda dos tokens se seu preço crescer em comparação com o preço original da ICO. Em segundo lugar, os participantes da ICO poderão usar seus tokens no futuro para obter acesso aos serviços e funções dos projetos após o lançamento. Em terceiro lugar, os tokens são comprados para apoiar iniciativas empresariais e projetos com alto potencial.

Participação em uma ICO

Como lançar uma ICO? Lançar uma ICO permite rapidamente arrecadar o dinheiro evitando a necessidade de registrar IPO com agências reguladoras. Aqui estão os primeiros passos para criar uma ICO:

  • Construa uma boa equipe. Uma equipe altamente profissional, cada membro da qual possui uma forte rede social, garante a confiança dos potenciais investidores.
  • Desenvolva o white paper com o plano e informações sobre o projeto:
  1. Necessidades do projeto, problemas que resolverá e aspectos técnicos do produto
  2. Objetivo de financiamento do projeto
  3. Cronograma da campanha da ICO
  4. Moeda da ICO
  5. Quantidade de tokens que você está planejando manter. Normalmente esta quantidade varia entre 10% e 50%.
  • Crie uma amostra ou um protótipo do produto ou serviço que será oferecido.
  • Crie garantias para os investidores. Crie contas-caução (Escrow wallets) e um procedimento transparente de devolução de fundos aos investidores. As contas Escrow detêm fundos até que o produto ou serviço anunciado seja concluído, o desenvolvedor comece a distribuir a criptomoeda e os coins se tornem disponíveis para venda e troca.
  • Escolha a melhor plataforma profissional para o lançamento da sua ICO. Essas plataformas funcionam como agregadoras de diferentes projetos de ICO e permitem lançamentos quase sem custo.
  • Crie uma forte campanha de imprensa para apoiar o lançamento. Prémios para primeiros investidores podem atrair o público, a comunicação constante através de redes sociais e fóruns ao longo da campanha irá manter o projetor em alta.

Como investir em uma ICO?

  • Escolha a ICO que lhe interessa e siga os links para a página do projeto. A página da ICO terá detalhes sobre a participação na ICO, além disso você poderá se inscrever para receber as atualizações.
  • Ao escolher uma ICO, faça um estudo cuidadoso de seu white paper: faça algumas pesquisas sobre os membros do projeto e o procedimento de retorno de investimentos no caso da empresa não ter tido êxito.
  • Estude o ANN - anúncio do projeto no quadro de mensagens - é a primeira mensagem a aparecer sobre um altcoin a ser lançado. Leia as perguntas e respostas no tópico e participe dos fóruns da ICO.
  • Depois de ter certeza de que a ICO escolhida é confiável, você pode realizar um investimento no site da ICO. Verifique a moeda aceita pela ICO (Bitcoin ou Ethereum).

Crie uma carteira e certifique-se de ter dinheiro nela antes do início da ICO. O procedimento de transação de moeda é bastante semelhante ao do banco on-line.

Questões legais

As ICO são legais? Elas são legais, mas não estão devidamente reguladas pela lei. As empresas e os projetos possuem certa liberdade de nomear suas ações de arrecadação dos fundos como doações ou financiamento colaborativo. Assim eles conseguem evitar os regulamentos legais que incidam sobre vendas de títulos. Somente em julho de 2017, uma influente autoridade financeira - Securities Exchange Commission (SEC) - iniciou a primeira investigação das vendas das ICOs efetuadas pela DAO (Organização Autônoma Descentralizada) afirmando que a captação de capital através de tecnologias blockchain não isenta a empresa da aplicação da leis federais dos EUA sobre os títulos. Outras diretrizes e procedimentos direcionados contra algumas ICOs ainda estão por vir. A SEC também publicou um boletim avisando os investidores para terem cuidado em suas escolhas de investimento. Quais são os riscos de investir em uma ICO? Não há garantia de que produto ou projeto decole ou atenda às demandas do público, isso pode tornar-se uma decepção. Algumas empresas também podem lançar a ICO para projetos que nunca planejaram desenvolver. Sugere-se considerar os investimentos nas ICOs como doações que podem ser generosamente recompensadas se a empresa for bem-sucedida. Com a falta de regulamentação legal, algumas campanhas da ICO podem ser fraudulentas. Antes de investir em uma ICO, pesquise sobre ela e cheque se foi caracterizada como "con", "scam", "MLM", "hack". Consulte o white paper para verificar como será o processo de retorno do investimento.

Glossário de ICO

ICO (Oferta inicial de moeda) - uma maneira de arrecadar investimentos do público. Uma empresa cria uma nova criptomoeda semelhante ao Bitcoin e oferece-a para venda ao público. Às vezes, as ICOs são descritas como uma combinação de ofertas públicas tradicionais e financiamento colaborativo. Em 2017, mais de 70 startups arrecadaram dinheiro desta forma. Token - é uma forma de criptomoeda ou, em outras palavras, um cupom digital que é vendido por moeda fiduciária (USD, EUR) ou criptomoeda de valor líquido (Bitcoin ou Ethereum). Os Tokens podem ter várias funções, por exemplo, podem dar acesso aos serviços da empresa, mas não os direitos de propriedade. Blockchain –  é um histórico de transações que usa criptografia para vincular lotes de eventos, a fim de tornar evidente se ocorreu alguma manipulação. Blockchain facilita a troca direta de valores entre as partes, sem a necessidade de um intermediário confiável. Por exemplo, isso significa que em blockchain o código digital confirma as transações, enquanto na economia tradicional é a autoridade centralizada quem valida o contrato entre as partes. É importante que os dados inseridos em blockchain nunca possam ser alterados e sejam visíveis para todos. Blockchain é executado em uma rede de computadores, o que significa que não existe um único sistema que poderia eventualmente falhar ou ficar comprometido. O sistema é adequado apenas para armazenar registros de transações de pequena porte. Fork – é um evento técnico em um blockchain, quando dois mineiros encontram um bloco ao mesmo tempo. Em resultado, os blocos subsequentes são adicionados a um bloco, enquanto o outro bloco é abandonado pela rede. Função Hash - é uma função criptográfica que pega qualquer texto como entrada, o corta e retorna em forma de uma seqüência com quantidade fixa de caracteres na saída. Para mineração de bitcoin, é utilizada uma função de hash específica chamada SHA-256. A entrada pode ser qualquer conjunto de caracteres - do simples "Oi, mundo" a um soneto de Shakespeare. A saída sempre será uma seqüência de letras e dígitos com 64 caracteres de comprimento que se parecem com isto: e3b0c44298fc1c149afbf4c8996fb92427ae41e4649b934ca495991b7852b855SHA. SHA significa Secure Hash Algorithm - Algoritmo Seguro de Hash. Foi desenhado pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, mas atualmente encontra-se em domínio público. Mining – significa minerar ou procurar novos blocos para continuar a cadeia de transações de bitcoin. Uma cadeia de transações concluídas é chamada blockchain. Os blocos são difíceis de produzir. Os mineiros têm que calcular um hash criptográfico do bloco que atenda a determinados critérios; normalmente um bloco válido deve começar com um certo número de zeros. Por exemplo: 000000000000002e9067f1cf7252333f7aeb619c89d220985a70ac0e015248e0. Muitos hashes criptográficos precisam ser computados antes de encontrar um correto. Os mineiros executam programas de computador em hardware especializado que automatiza o processo de segurança da rede.  O mineiro bem sucedido recebe recompensa em bitcoin para cada bloco de transações validado. Blockchain scaling – redução do tempo de operação necessário para cada transação. Cada transação em uma blockchain é compartilhada com cada membro da rede. Isso torna o processo de transação transparente, porém lento e não competitivo com VISA ou SWIFT. O problema está em um parâmetro denominado "limite de tamanho de bloco". Seu aumento levaria à centralização do Bitcoin, uma vez que apenas as grandes empresas poderiam proporcionar o espaço de armazenamento e o poder de computação necessários. Isso é contrário à idéia e a filosofia de Bitcoin. Contratos inteligentes – contratos digitais, contratos de blockchains, também chamados contratos de auto-execução - protocolos de transação informatizados que executam termos de contrato. Esses contratos são convertidos em código de computador, armazenados e replicados no sistema e supervisionados pela rede de computadores que executam a blockchain. Em outras palavras, o sistema de contratos inteligentes automatiza o processo de interação legal entre as duas partes: após o cumprimento dos termos do contrato, transfere automaticamente o pagamento. Contratos inteligentes são necessários para evitar terceiros, reduzir custos, burocracia legal e tempo necessário para cada transação. Criptomoeda - é uma moeda digital ou virtual, uma alternativa às moedas fiduciárias e dinheiro eletrônico centralizado. O esquema técnico da produção de criptomoeda é baseado em funções hash - operações matemáticas executadas em dados digitais. Assim sendo, cada unidade de criptomoeda é um código criptografado. A criptomoeda ajuda a garantir transações e é uma maneira mais barata de produzir dinheiro. Qualquer um pode comprar criptomoeda em sites especializados depois de criar uma carteira na internet. A primeira criptomoeda a aparecer foi o Bitcoin. Altcoin – qualquer criptomoeda exceto o Bitcoin, apresentada como melhor do que Bitcoin e que tem como objetivo substituí-lo. Há centenas de altcoins, alguns usam o mesmo algoritmo de hash do Bitcoin (Namecoin), outros usam os algoritmos de scrypt como, por exemplo, o popular Litecoin. Existem criptomoedas que usam algoritmos de hash inovadores - Ethereum é o maior rival da Bitcoin. SCAM (“con”,“MLM”, “hack”) - Uma empresa fraudulenta ou enganosa que usa o modelo da ICO para levantar fundos sem a intenção de prosseguir com o desenvolvimento do projeto. ANN (anúncio do projeto no quadro de mensagens) - é a primeira mensagem a aparecer sobre um altcoin a ser lançado. Whitepaper – é um documento oficial divulgado pela empresa que planeja lançar uma ICO. O documento fornece aos potenciais investidores informações sobre o projeto, o mercado e potenciais riscos . O white paper é necessário para convidar os investidores ao financiamento do projeto. O documento normalmente explica porque o produto precisa de um token, quais serviços estarão disponíveis para tokens e porque a demanda desses serviços crescerá no futuro. Carteira ou conta escrow – é um acordo financeiro no qual uma terceira parte detém os fundos das duas partes envolvidas na transação. É um procedimento transparente de devolução de fundos aos investidores. As carteiras de caução mantêm os fundos até que os termos do contrato sejam cumpridos, depois disso o pagamento torna-se disponível (por exemplo, novas altcoins ficam disponíveis para venda e troca).  

Linha de tempo de ICO

Marcos históricos 2008 – desenvolvedor de software Satoshi Nakamoto propôs um sistema de pagamento eletrônico baseado em prova matemática. Ele o chamou de Bitcoin e sugeriu que tornaria-se uma nova moeda digital produzida graças a fórmulas matemáticas e programas de software específicos. Nakamoto argumentou que Bitcoin permite evitar o gasto da moeda digital  em dois lugares simultaneamente. Com o Bitcoin, uma entidade poderia negociar com confiança o valor diretamente com outra entidade sem precisar de ajuda de terceiros. 2012/2013 – Blockchain 2.0 apareceu quando desenvolvedores entenderam que a tecnologia por trás do Bitcoin pode ser usada para todos os tipos de cooperação. 2013 – A Mastercoin lança sua campanha de crowdfunding nos fóruns de Bitcointalk. Foi um dos primeiros projetos a usar uma ICO. Mastercoin também foi uma das primeiras tentativas de sugerir altcoins e usar um meta-protocolo escrito acima de Bitcoin blockchain com o objetivo de criar recursos adicionais ao Bitcoin. 2015 - É lançado um sistema de blockchain de segunda geração chamado Ethereum. A inovação da Ethereum está em contratos inteligentes que permitem validar negócios, pagamentos e contratos com a ajuda de blockchains, sem usar procedimentos legais tradicionais. 2017 – O mercado de criptomoeda enfrenta dois problemas principais: regulação legal e desenvolvimento de processos de scaling de blockchains. A solução deste último é crucial para o futuro da criptomoeda diante da centralização do Bitcoin.