As três maiores ICO SCAM's da história

As três maiores ICO SCAM's da história

O mercado de criptmoeda é, predominantemente, uma área não regulamentada: até o momento nenhuma lei internacional se aplica ao processo de lançamento de uma ICO. Como resultado, já presenciamos fraudes de pequena e grande escalas e, também, projetos chamados SCAM – termo inglês que define um esquema ou uma ação enganosa e fraudulenta para se obter vantagens financeiras. SCAMs ajudam a enriquecer àqueles indivíduos que querem ganhar dinheiro mesmo às custas da reputação profissional. Selecionamos as três maiores fraudes da história das ICOs. As empresas que fazem grandes investimentos em promoção e criação de uma imagem de confiança podem revelar-se nada mais do que um esquema Ponzi disfarçado.

OneCoin

OneCoin é um altcoin baseado em blockchain privado. A proposta da empresa OneCoin pode ser resumida cpmo venda de material educacional para futura comercialização. Em outras palavras, o negócio da OneCoin é simplesmente re-venda do produto em vários níveis.

A fundadora, Ruja Ignatova, afirma que a empresa não comercializa criptomoeda – apenas o material didático. Mas o foco real da empresa é a venda dos coins: “Somente em 2013, OneCoin registrou o aumento de 75 vezes comparando com o preço inicial da moeda. As vendas começaram com um preço de apenas US$ 0,10 por um coin e chegaram aos US$ 1.100”.

A empresa usa ferramentas de marketing tradicionais: os participantes são estimulados a investir em moeda por meio de várias recompensas deferidas por alto nível participação. Embora seja possível “minar” Onecoins, não existe opção de trocá-los por outra moeda. Até o janeiro de 2017 a troca era realizada exclusivamente no mercado interno da OneCoin.

Vale ressaltar que o projeto é criado pela empresa OneCoin Limited, registrada em Gibraltar, com escritórios em Dubai e Belize. A CEO da empresa, Ruja Ignatova, é da Bulgária. De acordo com o CoinTelegraph, sua identidade e formação profissional não são muito credíveis: a biografia, publicada no seu site não está confirmada por nenhuma fonte oficial.

A OneCoin foi incluída na lista de observação pela Bulgária, Finlândia, Suécia, Noruega, Itália e Letónia. Estes países alertaram os participantes do projeto que a empresa possa ser uma fraude. Em 18 de abril de 2017, os representantes da OneCoin foram colocados na prisão em Mumbai. De acordo com The Atlantic, a empresa “transferiu pelo menos US $ 350 milhões em fundos supostamente fraudulentos através de um processador de pagamento baseado na Alemanha”.

Gnosis

Gnosis é uma plataforma que foi desenvolvida como um instrumento de fazer previsões do mercado. É baseada em Ethereum e permite que os participantes façam perguntas sobre uma grande variedade de eventos. Em seguida, eles podem efetuar compra ou venda das parcelas do resultado do tal evento. Por exemplo, isso pode ser aplicável às apostas esportivas ou aos seguros e gerenciamento de riscos.

Participantes dos fóruns temáticos logo do início estavam discutindo se a Gnosis era uma SCAM ou apenas uma opção de investimento ruim. Essas discussões surgiram devido ao modelo de distribuição dos tokens da Gnosis. O limite máximo de mercado foi fixado em 300 milhões de dólares, cerca de 5% dos tokens destinados aos investidores. Basicamente, parecia que a Gnosis queria extrair o máximo de dinheiro em troca dos tokens.

Os fundadores não deram garantias quanto à legalidade da plataforma ou da ICO em nenhuma jurisdição.

O pior cenário ocorreu depois do que a ICO da Gnosis foi efetivamente lançada: a equipe ficou com maioria dos tokens. Isso significa que a Gnosis simplesmente usou o sistema a favor dos fundadores do projeto. Em apenas 12 minutos foi vendido o equivalente de US $ 12,5 milhões em moeda do projeto – “GNO”. Isso significa que a empresa atingiu seu objetivo de 300 milhões de dólares, o projeto ficou supervalorizado e provavelmente não será lucrativo ao longo prazo. Embora o conselho consultivo da Gnosis seja forte – inclui Vitalik Buterin, entre outros, a maioria dos membros da equipe não tem experiência blockchain. Este fato novamente nos leva a questionar a credibilidade da empresa.

Earthcoin

O Earthcoin é uma criptomoeda comprometida com o desenvolvimento sustentável, baseada no algoritmo de scrypt. É uma extensão do Litecoin e usa o scrypt como um mecanismo de prova de trabalho.

O autor deste artigo teve dificuldades em encontrar informações sobre o Earthcoin, já que o site oficial do projeto estava fora do ar enquanto esta materia estava sendo preparado para publicação. Jornalistas da CoinTelegraph avisam que também não conseguiram encontrar detalhes suficientes para realizar uma análise completa dessa ICO. Há uma longa entrevista com os fundadores da empresa no BitCoin PR Buzz, mas o material não esclarece muito o prospecto do Earthcoin.

Os fundadores preferiram enfatizar sua cultura de responsabilidade social (plantar florestas e salvar animais na Costa Rica), em vez de fornecer detalhes sobre o negócio. Também vale a pena mencionar que os fundadores declararam que não possuem um determinado programa de negócios para o desenvolvimento do projeto.

A principal característica do projeto é que os coins são pré-minados. Isso significa que os desenvolvedores lançaram a moeda antes do lançamento público. Não existem informações detalhadas sobre as características e a quantidade da moeda. Os fundadores afirmam que o Earthcoin permite transações mais rápidas.

O projeto tem um marketing atraente: o pagamento da moeda segue um padrão anual (com pagamentos mais elevados na Primavera e mais baixos no Outono) e dias de pagamento de bônus regulares – um pagamento duplo a cada duas semanas e um pagamento quíntuplo uma vez por mês. São características atraentes, mas não fique surpreso se o valor do Earthcoin cair de um dia para outro. O projeto possui todas as características de um esquema de fraude pump-and-dump.



RECOMMENDED ICOS